histórico

A ideia da moeda local em Montemor-o-Novo nasceu no seio da Rede de Cidadania.

O MOR teve a sua primeira forma como talão-prenda, no Natal de 2011, tendo por objetivo incentivar o comércio local, especialmente no Mercado Municipal.


Os primeiros MOR em papel, na Feira Franca de 2013

O MOR em papel (ver imagem) apareceu nas Feiras Francas. A primeira destas Feiras decorreu em 29 de junho de 2013, integrada no programa da “Cidade Preocupada” das Oficinas do Convento.

Uma feira franca tem por objetivo incentivar as trocas dentro de uma determinada área geográfica, aproximando os produtores e os consumidores locais, gerando e fixando os rendimentos dentro da comunidade.

Houve três Feiras Francas, tendo a última decorrido em dezembro de 2015. Embora, esta ideia tenha tido alguma adesão, tal como a dos talões-prenda, não foi possível para a Rede manter o seu dinamismo.


A ideia da moeda local foi retomada quando surgiu um interesse acrescido por parte de outras entidades e pessoas. Em março de 2017 decorreu um encontro sobre moedas sociais e a sua importância como instrumento de desenvolvimento local, organizado pela ECOSOL/CES, a Cooperativa Integral Minga, a Rede de Cidadania de Montemor e a Marca ADL.

Neste encontro pretendeu-se envolver as várias organizações locais de economia solidária para discutir a criação de uma moeda social local para Montemor-o-Novo. Na parte da manhã houve uma conversa sobre o assunto no Mercado Municipal, e na parte da tarde uma oficina de trabalho na Sociedade Carlista.


Desta oficina saiu a ideia clara de que a implementação de uma moeda local com sucesso e expressão envolveria, necessariamente, a participação e empenho das instituições e forças económicas locais. Por outro lado, dada a complexidade do tema, nomeadamente ao nível da implementação, fiscalidade, segurança, transparência, credibilidade, sustentabilidade financeira e manutenção a médio/longo prazo, foi marcada uma reunião em junho de 2017, na Marca ADL, para constituição de um grupo/conselho consultivo para a criação da moeda local.

A partir daí dava-se início à fase de desenvolvimento da moeda MOR digital, com o nascimento, a 31 de agosto de 2018, da A.Mor – Associação para a Moeda Local de Montemor-o-Novo.


Desde então a associação tem trabalhado com o objetivo de lançar a moeda MOR na Feira da Luz de setembro 2020. Devido à situação atual de pandemia e o cancelamento da Feira, a moeda entrou em funcionamento num projeto piloto entre associados da A.Mor. Entretanto, esta fase piloto foi alargada, abrindo-a a novos utilizadores e profissionais. O plano de atividades para 2021 aprovado em Assembleia Geral da A.Mor prevê chegar a 50 utilizadores e 50 profissionais até ao fim deste ano.